NOTAS SOBRE O AMBIENTALISMO, (AGRO)ECOLOGIA, CIÊNCIA E CAPITALISMO

As elaborações entorno da agroecologia na década de 1990 ganharam várias compreensões e sentidos, muitas vezes de forma fragmentada e descontextualizada. O presente texto procura articular o debate agroecológico dentro do desenvolvimento do movimento ambientalista, surgido devido às modificações estéticas na sociedade industrial do século XVIII, com o fortalecimento do capitalismo. Os conceitos e noções básicas que orientam grande parte das compreensões atuais sobre a agroecologia irão surgir dos debates que esse movimento construirá ao longo dos séculos XIX e XX, principalmente. A trajetória teórica que sofre o conceito de ecologia durante esses séculos é refletida sobre as elaborações agroecológicas. Assim, as críticas realizadas às sociedades contemporâneas irão conformar a elaboração da noção de sustentabilidade, popularizada a partir da década de 1970, assumindo diferentes significados a partir de então, orientando, também, as elaborações sobre agroecologia. Nesse sentido, procura-se discutir os limites e potencialidades dos enfoques e compreensões agroecológicas num ambiente de mercados oligopolizados onde a busca pelo mercado de nicho é constante para os setores produtores com pequeno patrimônio produtivo. Com isso, conforma-se uma discussão articulando a economia política e a ecologia política procurando encontrar pontos de convergência e limites de diálogo. Conclui-se, destacando o caráter de síntese que possui o conceito de ecologia como orientador de possíveis estratégias de desenvolvimento e estudo das relações ecosociais, tentando localizar os desafios postos pelas sociedades contemporâneas a esta perspectiva epistemológica.


Issue Date:
2006
Publication Type:
Conference Paper/ Presentation
PURL Identifier:
http://purl.umn.edu/148605
Total Pages:
18




 Record created 2017-04-01, last modified 2017-04-26

Fulltext:
Download fulltext
PDF

Rate this document:

Rate this document:
1
2
3
 
(Not yet reviewed)