DAS PREOCUPAÇÕES FISIOCRÁTICAS E CLÁSSICAS AO CUSTEIO AGRÍCOLA MODERNO: O PENSAMENTO ECONÔMICO E SUA APLICAÇÃO AO SISTEMA NACIONAL DE CRÉDITO RURAL (SNCR)

Esse artigo aborda o pensamento econômico das escolas fisiocrática e clássica tangentes à agricultura e os reflexos dessas idéias na modulação dos instrumentos de política agrícola praticados na contemporaneidade. Para tanto, avoca o desafio, pelo método descritivo, de permitir-se uma análise hermenêutica dos excertos cujo bojo ainda se mantém como fundamentador teórico e justificador das medidas adotadas na atualidade. Resgatam-se os escritos de François Quesnay, Adam Smith, Thomas Robert Malthus e David Ricardo. Pelo método histórico tem-se a reconstrução sinóptica dos principais eventos cuja combinação ensejou a conjuntura contemporânea que, por sua vez, exigiu ou indicou a adoção das ferramentas de ingerência do custeio agrícola por parte do Estado. De posse desse conhecimento, discute-se os delineamentos promovidos por essa ideologia na evolução do Sistema Nacional de Crédito Rural (SNCR), acompanhados, óbvio, pelo contexto históricoeconômico vigente.


Issue Date:
2006
Publication Type:
Conference Paper/ Presentation
PURL Identifier:
http://purl.umn.edu/148065
Total Pages:
21




 Record created 2017-04-01, last modified 2017-11-13

Fulltext:
Download fulltext
PDF

Rate this document:

Rate this document:
1
2
3
 
(Not yet reviewed)