SITUAÇÃO DO SETOR SUCROALCOOLEIRO NO NORDESTE: ESTRUTURAÇÃO DA CADEIA PRODUTIVA, PRODUÇÃO E MERCADO

O setor sucroalcooleiro do Brasil é o mais competitivo do mundo. Possui maiores níveis de produtividade, rendimento e menores custos de produção. A tendência de crescimento do preço mundial do petróleo, aliada a necessidade de redução de emissão de poluentes na atmosfera e ao alto volume de vendas dos veículos bicombustíveis deverá impulsionar de forma crescente a demanda interna e externa por álcool, sendo necessário grande volume de investimento para atender essa demanda. Com relação ao açúcar a perspectiva também é de demanda mundial crescente, influenciada diretamente pelo crescimento do consumo mundial de açúcar ao nível de 2% ao ano e pela perspectivas de redução da produção em países que estão investindo na produção de álcool combustível em detrimento de incrementos na produção agrícola. O objetivo geral da pesquisa foi caracterizar o setor sucroalcooleiro através da análise do mercado e da cadeia produtiva com foco na produção nordestina. O estudo foi realizado com base em pesquisa exploratória a partir de levantamento bibliográfico, entrevista aberta aos seguimentos representativos do setor e observação direta no decorrer das visitas. Os resultados encontrados permitem concluir que: o setor sofreu uma profunda reestruturação na gestão de produção, nas relações de trabalho, além de inovações tecnológicas; o setor sucroalcooleiro nordestino apresenta competitividade no mercado externo visto que o seu custo de produção fica acima apenas do obtido na região Centro- Sul do Brasil; o crescimento da produção na zona da Mata nordestina depende do aumento dos níveis de produtividade por meio da ampliação da área irrigada e do aumento do rendimento industrial; e, a ampliação da fronteira da cana-de-açúcar no Nordeste deverá centrar-se no Maranhão e Piauí.


Issue Date:
2006
Publication Type:
Conference Paper/ Presentation
PURL Identifier:
http://purl.umn.edu/146603
Total Pages:
19




 Record created 2017-04-01, last modified 2017-05-01

Fulltext:
Download fulltext
PDF

Rate this document:

Rate this document:
1
2
3
 
(Not yet reviewed)