EXPERIÊNCIA DE REFORMA AGRÁRIA NO CEARÁ: OS CASOS DOS ASSENTAMENTOS DE RECREIO, CALDEIRÃO, REDONDA E MALACACHETA- CE

As mudanças por que tem passado a agricultura no país não conseguiram favorecer os interesses de uma parcela significativa dos trabalhadores rurais. Ao contrário, o que se percebe é um grau de modernização tecnológica, cada vez mais, intenso, ao mesmo tempo em que favorece uma exclusão econômica e social. Esse fato contribui para o aumento do êxodo rural, assim como, para o desemprego no campo. Na tentativa de mudar esse quadro, os trabalhadores se organizam e mantêm uma resistência. O MST hoje se apresenta como um movimento organizado que visa a pressionar o governo no sentido de promover políticas agrícolas para fixar o homem no campo. Para isso, é necessária uma melhor distribuição de terras que permita o desenvolvimento de culturas alimentares de ciclo curto e de atividades que possam viabilizar uma renda monetária para as famílias. Como se sabe, uma elevada concentração de terras traz como conseqüência uma alta disponibilidade de mão-de-obra. O trabalhador rural se sente forçado a alienar a sua força de trabalho por conta de sua capacidade de pagar, através de arrendamentos, para utilizar a terra de outro. Ao mesmo tempo em que uma grande parcela da população rural depende da terra para viver, esta pertence a uma minoria. Essa situação propicia a miséria e favorece o atraso econômico e cultural do país. Partindo dessa realidade, o presente trabalho busca iniciar uma discussão acerca da importância da Reforma Agrária que se situa para além da simples distribuição de terras e contempla a erradicação da pobreza rural. ---------------------------------------------------The changes that agriculture has undergone along the years have not been favourable for a significant part of rural workers. On the contrary, the intense technological modernization has spawned an economic and social exclusion, which in turn has contributed to increase rural exodus, and as such to rural unemployment. In an attempt to change this picture, rural workers resist organising themselves in resistance. A well-known example is the Movement of Landless Rural Workers - MST that is seen as successful in what it set out to fight. That Movement has pressured authorities in as much to promote efficient agricultural policies that enable small farmers to stay in the countryside. In order to achieve that better land distribution is essential, one that would allow the development of short circle alimentary cultures and activities that create a sustainable income for rural families. As is commonly accepted, a high concentration of land results in an increased labour force. Therefore rural workers are forced to alienate their labour force, as they are not able to rent someone else’s land. This essay intends to initiate a discussion about the importance of the Agrarian Reform that goes beyond land distribution and considers the eradication of rural poverty.


Issue Date:
2008-07
Publication Type:
Conference Paper/ Presentation
PURL Identifier:
http://purl.umn.edu/109656
Total Pages:
22




 Record created 2017-04-01, last modified 2017-04-26

Fulltext:
Download fulltext
PDF

Rate this document:

Rate this document:
1
2
3
 
(Not yet reviewed)